Presidente da Fapeg realiza visita na UEG e propõe diálogo

Nesta terça-feira, 11/06, o presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (Fapeg), Robson Domingos, visitou as instalações da Universidade Estadual de Goiás em Anápolis.Nesta terça-feira, 11/06, o presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (Fapeg), Robson Domingos, visitou as instalações da Universidade Estadual de Goiás em Anápolis.

Na parte da manhã, foi realizada uma reunião entre Robson, o reitor da UEG, professor Ivano Devilla e os coordenadores dos cursos de Pós-graduação da Universidade. Na ocasião, o professor Talles Faria Silva, coordenador geral da Incubadora Tecnológica de Cooperativas Populares (ProSol) da UEG apresentou a Incubadora e traçou o histórico de atuação da ProSol no estado de Goiás.

Ainda pela manhã, o presidente da Fapeg visitou as dependências do Centro de Empreendedorismo, Tecnologia e Inovação (Inova Centro), que atualmente conta com 16 empreendimentos vinculados e já impactou mais de 5 mil pessoas por meio de ações de inovação. Outras estruturas visitadas foram o Centro de Pesquisa e Pós-Graduação (CPPG), onde o presidente pôde conhecer os laboratórios, e  o câmpus de Ciências Exatas e Tecnológicas (CCET).

Perfil de fomento

No período da tarde, Robson Domingos apresentou, no auditório da Administração Central, os pontos de ação na Fapeg e o papel da Fundação nas pesquisas desenvolvidas pela Universidade. Para ele, é importante a solidez do Estado em relação à ciência. “Um Estado forte é o que tem Instituições de Ensino fortes”, afirmou. Robson propôs que os pesquisadores e professores conheçam a Fapeg e conversem com a equipe da Fundação, a fim de que ocorra um elo: “Isso vai proporcionar uma relação estreita entre a UEG e a Fapeg”. Segundo Robson, essa relação é importante para que as duas Instituições caminhem juntas segundo um objetivo em comum.

O presidente traçou o perfil de fomento à pesquisa da Fapeg, baseado na aproximação entre a academia, a indústria e o governo. De acordo com Robson, é preciso a realização de pesquisa aplicada na indústria para quebrar a barreira entre a academia e a indústria para captar recursos do setor e oferecer pesquisa especializada e altamente capacitada. Outra premissa de fomento importante é a regionalização, no sentido de fortalecimento da ciência feita no interior do Estado e que carece de investimentos.

Ações

Dentre as ações a serem realizadas pela Fapeg, estão as Oficinas de Prioridades, que Robson definiu como fonte de levantamento das demandas propostas pelas Instituições de Ensino, que apresentam os eixos para o fomento das pesquisas na Pós-Graduação. O intuito das Oficinas é que, por meio dos editais da Fapeg, a relação entre academia e indústria seja cada vez maior e as barreiras, menores.

Interlocução

Após a apresentação, professores dos Programas de Pós-Graduação da UEG participaram de uma mesa de interlocução entre a Universidade e a Fapeg. Cada docente perfilou seus respectivos Programas e pontuou os aspectos mais relevantes e que merecem ser conhecidos pelo órgão de fomento.

(Anna Carolina Mendes|CeCom|UEG)

Notícia publicada em 11/06/2019