“É possível causar impacto social e obter retorno financeiro”, assegura Ralf Toenjes

A Universidade Estadual de Goiás (UEG) realizou nesta quarta-feira, 5, a oitava edição do Encontro de Empreendedorismo, Tecnologia e Inovação.

A partir do tema “Os negócios sociais e Mobilidade para geração de uma sociedade melhor”, a ideia do evento foi apresentar aos participantes as oportunidades de empreendedorismo e inovação em suas diferentes vertentes e as possibilidades de aproximação entre a academia, o setor produtivo e a sociedade.

Inova Centro é inaugurado

As atividades do 8º Encontro iniciaram com a inauguração do Centro de Empreendedorismo, Tecnologia e Inovação da UEG, o Inova Centro. Agora o espaço irá integrar, desenvolver e consolidar o ecossistema de empreendedorismo e inovação da Universidade.

“O Inova Centro irá ampliar nosso escopo de atuação. O nosso principal projeto, o Programa de Incubação da UEG (Proin), conta atualmente com 19 empreendimentos incubados, sendo considerada uma das maiores incubadoras do Estado de Goiás. Então, percebemos que era necessário ampliarmos nosso espaço para atender ainda mais com qualidade esses empreendimentos”, explicou o coordenador geral do Inova Centro, Ewerton Costa.

O reitor da UEG, professor Haroldo Reimer - que no evento também representou o governador do Estado, José Eliton – afirmou que a inauguração do Inova Centro é um importante marco na história da UEG e que, ao mesmo, já nasceu com um grande legado.

“Com a inauguração do Inova Centro, a UEG torna-se referência e rota obrigatória do empreendedorismo goiano. Tenho certeza que muitos caso de sucesso sairão desse espaço com potencial de inovação e transformação do estado”, disse Haroldo Reimer, ao transmitir as palavras do governador.

Negócios de Impacto para uma sociedade melhor

Um dos grandes destaques da programação do Encontro foi a palestra "Negócios de Impacto para geração de uma sociedade melhor" ministrada por Ralf Toenjes.

Na palestra, o público pôde aprender com as experiências do palestrante como é o processo de desenvolvimento de negócios que geram impacto, ou seja, que podem mudar a realidade das pessoas, mas, que de igual modo, possibilita retorno financeiro.

Primeiramente, o jovem empreendedor contou sua história e de como, na universidade, começou a se envolver com ações de empreendedorismo até criar, juntamente, com dois colegas a ONG Renovatio. Com as atividades da ONG, foram fornecidos óculos e atendimento oftalmológicos gratuitos para 35 mil pessoas em 20 estados brasileiros.

A nova meta era distribuir 1 milhão de óculos até 2021 e para isso foi necessário dar um passo, pois no modelo antigo de captação de recursos não seria possível alcançar o objetivo. Então, a partir da Renovatio, Ralf abriu o negócio social VerBem, que comercializa óculos a preços acessíveis.

A cada óculos vendido, a VerBem doa outro para as ações da ONG, contribuindo efetivamente para a meta de distribuição de óculos à quem precisa. Por causa dessas ações Ralf foi indicado pela Forbes como um dos jovens mais promissores do Brasil, antes dos 30 anos e reconhecido como o Empreendedor Social do Ano 2017 (com menos de 35 anos).

“É importante frisar que a gente faz doação de óculos e ganha dinheiro fazendo isso. Não tem problema. Eu tenho 27 funcionários na VerBem, todos registrados e bem remunerados. As pessoas tentam argumentar que é errado se ganhar dinheiro com ações sociais de impacto, mas não é. Por que o dono de uma grande empresa pode ganhar milhares de reais produzindo uma mercadoria, e eu não posso ganhar a mesma quantia melhorando a vida das pessoas?”, ponderou Ralf Toenjes.

Novos incubados e graduação de empresa

Durante o evento, foi realizada a cerimônia de graduação do Laboratório Alquimista, que passou a se chamar Bio Sinq. Vale destacar que o empreendimento foi indicado como uma das 100 melhores startups do país no ranking do Jornal Valor Econômico.

Também foi celebrado o ingresso dos três novos empreendimentos selecionados no último edital do Proin e que serão atendidos pelo Inova Centro. Os empreendimentos HPECC e Projeto Bebidas Fermentadas Probióticas ingressaram na modalidade não residente, já o Projeto Aproximação de Demanda para pequenos e médios produtores de grãos ingressaram na modalidade Pré-incubação.

Na oportunidade, ainda houve a premiação do 5º Desafio StartaAí. O projeto vencedor foi o Sílax das acadêmicas Ana Clara, Jackelinne Cristina e Juliana do curso de Química Industrial da UEG. A equipe será comtemplada com um curso de capacitação.

Por fim, o coordenador do Inova Centro, Ewerton Costa, falou dos resultados alcançados na área de empreendedorismo e inovação da UEG desde a fundação do Proin em 2011 e apresentou à comunidade as ações realizadas em 2018, como a criação do Conselho Empresarial.

 

Workshops

A programação do 8º Encontro de Empreendedorismo, Tecnologia e Inovação contou também com dois workshops que ocorreram na parte da tarde:

1) Uso de tecnologia na Mobilidade para geração de uma sociedade melhor, com Emílio Merino Dominguez, arquiteto e urbanista que assessorou o Ministério das Cidades no projeto de implementação da Lei da Mobilidade Urbana no Brasil.

2) Movimento de Empresas Juniores aplicado a realidade Goiana, com a Empresa Junior Grupo Gestão da UNB.


(Adriana Rodrigues | CeCom|UEG)

 

 

Notícia publicada em 06/12/2018