Produções audiovisuais do Câmpus Laranjeiras são destaque no Goiânia Mostra Curtas

4FrameFatal300x127

O Goiânia Mostra Curtas (GMC) completa esse ano a sua 18ª edição e já faz parte do calendário cultural goianiense. Um evento desse porte possui uma série de colaboradores e de pessoas que trabalham para que o festival mantenha o seu nível de prestígio nacional. Em 2018, a Universidade Estadual de Goiás (UEG) participa da GMC em diferentes vertentes.

Alunos do curso de Cinema e Audiovisual do Câmpus UEG Goiânia Laranjeiras fazem parte da equipe que realiza a mostra e também participam das atividades de formação que o evento fornece. Iara Ribeiro, aluna do 2º período, encara a experiência de trabalhar na Goiânia Mostra Curtas, que ela considera um dos maiores festivais do estado de Goiás, como uma oportunidade de aprender e de conhecer pessoas da área audiovisual. Segundo ela, o GMC abre portas e tem a capacidade de apresentar possibilidades diferentes do que pode ser feito no cinema. Vinícius Queiroz, também discente do curso, reforça a ideia de que fazer parte da equipe do festival é uma experiência enriquecedora e que a troca de conhecimento com profissionais do audiovisual é bastante valiosa.

6AlMamam300x169Além da participação na equipe que organiza o festival, o curso de Cinema e Audiovisual também marca presença na Curta Mostra Goiás com os seguintes filmes: Alô, maman, dirigido pela aluna Michely Ascari e ganhador do Prêmio de Júri Popular na 9ª Mostra Audiovisual (MAU, 2017); Kris Bronze apresentado como trabalho de conclusão de curso do egresso Larry Machado, e também Onde nascem as amoras, do mesmo diretor; O malabarista, de Iuri Moreno, egresso da pós-graduação; Wide Awake, filme que é resultado da pesquisa do docente Rafael de Almeida, que assume a direção do curta; e Frame Fatal, ficção realizada por diversos alunos do curso e dirigida por Thiago Rabelo.

Durante o evento a professora Ceiça Ferreira compôs a mesa que debate o tema “Gênero e invenção no cinema: desafios de desconstrução e criação”, no dia 06 de outubro.

Premiações

Para o professor Rafael de Almeida, diretor da UEG Câmpus Goiânia Laranjeiras, a Mostra serviu para mostrar a força do curso no cenário do Audiovisual goiano. "A premiação desses três filmes é uma evidência do esforço coletivo que professores, alunos e servidores têm desempenhado junto ao curso de Cinema e Audiovisual da UEG. Parabéns a todos! Essa conquista é de todos nós!”, disse referindo-se ao filmes de estudantes que foram premidos.

Michely Ascari, aluna e diretora do filme "Alô, maman", um dos filmes premidos não conteve a alegria. "Fico tão feliz de ver esse filme conquistando esses espaços. Todo mundo se esforçou tanto. Que lindo ver a UEG se fortalecendo também!", afirmou.

8KrisBronze300x168Mas não foi apenas atrás das câmeras que os estudantes brilharam. João Paulo Lopes Tito, aluno e ator do filme "Frame Fatal", reforça a qualidade da produção da UEG. "Orgulho enorme desse trabalho em colaboração feito inteiramente por alunos e ex-alunos do curso de Cinema da Universidade Estadual de Goiás, sem nenhum recurso!"

Melhor Filme: Alô, maman (GO) – 2018 – Fic – 11 min. Direção: Michely Ascari

Melhor Direção: Kris Bronze (GO) – 2018 – Doc- 24 min. Direção: Larry Machado

Melhor Filme (Júri Popular): Frame Fatal (GO) – 2017 – Fic – 21 min. Direção: Thiago Rabelo

 

(Victor Vinícius e Geórgia Cynara. Foto da capa: Assessoria da GMC)

Notícia publicada em 08/10/2018