Proin realiza Dia de inovação tecnológica na UEG

 

O Programa de Incubadoras da Universidade da Estadual de Goiás (Proin|UEG), organizou, nesta terça-feira, 15, um dia dedicado à inovação tecnológica. O objetivo foi apresentar as oportunidades de desenvolvimento tecnológico que o empreendedorismo e a inovação podem ofertar.

A mesa diretiva foi composta pelo reitor da UEG, o professor Haroldo Reimer, pelo diretor técnico da Fundação de Amparo à Pesquisa de Goiás (Fapeg), professor Antônio Newton Borges, pelo Superintendente do Banco do Povo da Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado de Goiás, Danilo Rabelo, pela conselheira do Conselho Temático da Fieg, Alessandra Soares, pelo Coordenador do Proin, Bruno Alencar e pelo Fundador e diretor da empresa Nanovetores, Ricardo Henrique Ramos.

Em sua fala, o reitor ressaltou a importância do trabalho realizado com os diversos parceiros e apoiadores para que tanto o Proin como a Universidade se desenvolva com qualidade. Ele também fez questão de destacar que o Programa de Incubação de empresas da UEG é um dos melhores programas desse segmento no Estado de Goiás.

Graduação de empresas

A programação do evento iniciou com a graduação de duas empresas encubadas no Proin, a Floê Cosméticos e a Sensr.IT

A Floê Cosméticos é um projeto spin-off acadêmico do setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos. A empresa atua na pesquisa e no desenvolvimento de ativos naturais derivados de plantas encontradas no cerrado brasileiro para a fabricação de cosméticos.

“Toda essa jornada dentro da incubadora, o apoio que nós recebemos, os ensinamentos, as lições, as palestras e as oportunidade geradas, foram muito importantes para consolidar esse caminho de sucesso da Floê”, afirmou Iriamar Fernandes, egressa do curso de Farmácia do Câmpus de Ciências Exatas e Tecnológicas (CCET) e proprietária da Floê Cosméticos.

A empreendedora ainda anunciou que em breve a fábrica da empresa será inaugurada. Até agora a produção dos cosméticos era realizado em um ateliê.

Já a Sensr.IT é um projeto direcionado para realização de monitoramento global tecnológico por diferentes módulos para Monitoramento de Infraestrutura de TI. Conforme Fabrício Lúcio, idealizador da empresa, a Sensr.IT desenvolveu um aplicativo que faz o controle de gargalos tecnológicos e de infraestrutura bem como o gerenciamento de contratos de fornecedores, gestão de projetos e de riscos para grandes empresas.

Na entrega da certificação para as empresas graduadas, o coordenador do Proin, Bruno Alencar, lembrou que o processo de incubação “é como se fosse uma faculdade de desenvolvimento de empresas inovadoras”, mas que mesmo após a graduação a Floê e a Sensr.IT continuarão tendo o apoio e o acompanhamento da Incubadora no mercado.

Saiba mais sobre o processo de incubação na UEG.

Financiamento universitário

Antes da palestra principal do dia, o Superintendente do Banco do Povo, Danilo Rabelo anunciou o Programa Financiamento Universitário, em parceria firmada com a UEG, por meio do Proin.

“Os estudantes universitários recém-formados poderão fazer treinamento que dê condições para a retirada do cartão do povo. Nós temos 30 milhões disponíveis para apoiar os novos empreendedores. Todos os cursos da UEG serão contemplados”, divulgou.

Nanotecnologia na indústria cosmética e têxtil

Ricardo Henrique Ramos, diretor da Nanovetores Tecnologia proferiu uma palestra sobre a trajetória da sua empresa, que é uma multinacional brasileira inovadora, mundialmente reconhecida.

O empreendedor contou aos participantes o processo de incubação e as etapas de crescimento pelos quais a Nanovetores passou até se tornar a melhor empresa incubada do país e ser instalada no Sapiens Parque, parque tecnológico de Florianópolis, Santa Catarina.

A empresa desenvolve ativos encapsulados de alta performance para a produção de cosméticos na linha capilar, corporal, facial e ungueal (relativo às unhas).

Conforme Ricardo Henrique, sua empresa identificou que muitos cosméticos encontrados no mercado possuem o problema da eficácia, ou seja, nem sempre alcança o resultado esperado pelo consumidor.

“Na nossa análise o ativo livre sofre uma perda quando misturado aos diversos componentes de formulação de um cosmético, como água, conservantes, fragrância, óleos, luminosidade, oxigênio. Nós entendemos, assim, que o cosmético convencional que usa o ativo livre tem problema de eficácia”, apontou.

Nesse sentido, a Nanovetores nanoencapsula os ativos. A vitamina C, por exemplo, é colocada dentro de uma cápsula, onde permanece protegida e preservada. O tamanho desse ativo também é reduzido a um tamanho nanométrico, fazendo com que ao ser aplicado, a partir de um creme por exemplo, comece a permear a pele de forma mais profunda.

“A solução criada pela Nanovetores além de proteger e reduzir o tamanho, abre a cápsula num alvo e momento específicos, por meio de um gatilho de liberação, sendo muito mais eficaz. Assim temos o gatilho enzimático, gatilho fricção, gatilho ph, gatilho temperatura, gatilho água”, explicou Ricardo Henrique.

O fundador da Nanovetores também chamou atenção dos futuros empreendedores para um outro diferencial competitivo: o compromisso com a sustentabilidade. Todos os produtos da empresa são concebidos a partir de um processo limpo e verde, com materiais naturais, em meio aquoso e livre de solventes orgânicos, o que confere segurança para o meio ambiente e para as pessoas.

Além de trabalhar com ativos na fabricação de cosméticos, a Nanovetores conseguiu inovar e levar os benefícios para o segmento têxtil. Foram desenvolvidas roupas hidratantes, que reduzem medidas, que melhoram a circulação e diminui dores e roupas com ação repelente.

A palestra foi uma realização da parceria entre o Proin e a Fundação de Desenvolvimento de Tecnópolis (Funtec) por meio do Programa de Desenvolvimento Tecnológico e Empreendedorismo Inovador – Ciclo de Palestras sobre inovação.

Workshop

Ao fim do dia foi feito um Workshop sobre o funcionamento do processo de incubação na UEG e para esclarecer os interessados sobre o Edital de seleção de projetos inovadores 2018.

O Edital tem por objetivo selecionar propostas, com potencial inovador ou tecnológico para gerar negócios sendo da academia, de empreendedores, startups, inventores e empresas para o processo de incubação do PROIN.UEG,

O processo de seleção de empreendimentos, regido pelo edital ofertará quatro vagas para projetos de pessoas físicas ou jurídicas na modalidade de Pré-Incubação, uma vaga para empresas na modalidade de Incubação Residente e quatro vagas para empresas na modalidade de Incubação Não-Residente.

As inscrições vão até o dia 02 de junho. Inscreva-se aqui.

(Adriana Rodrigues | CeCom|UEG)

Notícia publicada em 16/05/2018