Com inovações e avaliações positivas, termina Agro Centro-Oeste Familiar

A Universidade Estadual de Goiás (UEG) devolveu à Universidade Federal de Goiás (UFG) o estandarte da Feira Agro Centro-Oeste Familiar (Acof), encerrada no final da tarde desta sexta-feira, 11, em São Luís de Montes Belos. O encerramento foi realizado no final da tarde, no parque do Espelho D´água, onde ocorreram as atividades culturais e os pequenos produtores rurais puderam expor e vender os seus produtos.

Novidade introduzida pela UEG, as atividades da Acof foram divididas em dois espaços, com a parte técnico-científico na Fazenda-Escola, na saída para Iporá. Para organizadores, instituições parceiras e demais participantes, o evento foi um sucesso, bastante elogiado na reunião final de avaliação, momentos antes da cerimônia de encerramento. “A feira alcançou seus objetivos, com uma riqueza de atividades muito elogiada, inclusive pela divisão dos locais”, confirmou o zootecnista Antelmo Pereira Alves, chefe de gabinete da Emater. “Nossa participação também atendeu aos nossos propósitos”, acrescentou.

Ao também avaliar a Acof positivamente para os produtores da agricultura familiar e acadêmica, o pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação da UEG, Ivano Devilla, enalteceu a participação dos parceiros como a Emater, o IF Goiano e a UFG. “Contribuíram bastante com a realização da feira”, disse Ivano, responsável pela coordenação da feira.

Intercâmbios

Também integrante da coordenação da Acof, a professora Divina Aparecida destacou a inovação da feira. “A divisão dos espaços fez com que os expositores pudessem participar das atividades, ganhando conhecimento e também fazendo intercâmbios com os representantes das demais instituições, a quem puderam apresentando suas demandas”, explicou. Ela ressaltou a participação de parceiros e citou outra novidade da feira, o Espaço Saúde, que contou com o apoio decisivo dos cursos de Enfermagem, Nutrição e Medicina da UFG.

Para Mírian Gonçalves de Oliveira, aluna do terceiro período de Medicina Veterinária do câmpus São Luís de Montes Belos, a feira foi uma oportunidade de apresentar seu trabalho – um dos 243 submetidos a avaliação. Ela apresentou um levantamento sobre o conhecimento dos acadêmicos de Ciências Agrárias sobre os doenças de notificação.

Estudante do curso técnico de Agropecuária do IF Goiano, Jennifer Gonçalves participou de dez atividades nos três dias de eventos e acredita que voltaria para Rio Verde com mais conhecimento e alguns dos 4.800 certificados emitidos pela organização. A estudante fez parte de uma das 30 caravanas que se deslocaram para a feira.

97 atividades

Outros números expressivos do evento foram as 97 atividades realizadas – entre cursos, minicursos, rodas de conversa e dias de campo. As experiências e conhecimentos apresentados nessas atividades foram compartilhados com 4,3 mil pessoas, entre estudantes, pesquisadores e produtores familiares.

No Espelho D’água, 82 produtores expuseram seus produtos nos 48 estantes e tendas armadas pela UEG. Adesvaldo Rosa dos Santos, 68 anos, vende doces, licores e outros produtos de guariroba, boa parte plantada em sua propriedade, em Aurilâdia, município a 20 quilômetros de São Luís de Montes Belos. Para ele, a feira foi, principalmente, uma boa oportunidade para divulgar os seus produtos. “É muito bom participar”, avaliou.

 

(José Carlos Araújo | CeCom|UEG)

Notícia publicada em 11/05/2018