Imersão em inglês, no Câmpus Pirenópolis, é ferramenta de internacionalização da UEG

A Assessoria de Relações Externas da Universidade Estadual de Goiás (Arex|UEG) realiza, em Pirenópolis, uma atividade acadêmica que se destaca também como ferramenta de internacionalização. De domingo, 11, até sexta-feira, 16, estudantes, servidores e professores da Instituição “mergulham” na língua inglesa, durante a terceira edição do Curso de Imersão em Língua Inglesa.

Com 60 horas de atividades, o curso é realizado em parceria com a Universidade do Wyoming (EUA) e a organização não-governamental (ONG) Americas Partners, que trouxeram 11 americanos para a imersão. Dorly Piske, uma das coordenadoras do grupo americano, explica que o modelo apresentado oferece maior interação do que um sistema tradicional, com um ou dois professores falantes nativos do inglês.

O resultado, acredita Dorly, é um aprendizado maior, baseado na troca entre os participantes. “Os voluntários americanos, que custearam suas passagens, têm muito a oferecer, mas também levam muito. É uma troca muito valiosa”, avalia a professora, brasileira radicada há mais de 30 anos nos EUA. “É um privilégio podermos contribuir com a internacionalização da UEG”, acrescentou.

Servidores e estudantes
Este ano, além de professores da UEG, servidores e estudantes também puderam participar do curso. Jaqueline Vasconcelos Braga, que trabalha no Centro de Ensino e Aprendizagem em Rede (Cear) está entre eles. “É uma excelente oportunidade para os servidores e também para a UEG, que busca sua internacionalização”, avaliou.

Aluna do sétimo período de Letras do Câmpus Morrinhos e professora da rede estadual no município, Eugênia Desirée Duarte também está em sua primeira experiência no evento da Arex. “Com certeza, saio mais preparada. Vou usar (com os alunos) ferramentas que não usava em sala de aula”, garantiu.

A imersão é também oportunidade para quem tem bom domínio do inglês. “A gente nunca sabe tudo, principalmente, numa língua estrangeira”, justifica Giuliana Castro Grossi, professora de Inglês e Estágio de Inglês no Câmpus Inhumas e coordenadora do Inglês sem Fronteira da UEG. “É muito importante também entrar em contato e fortalecer laços com representantes dos outros câmpus e com os americanos”, acrescenta.

Pontos turísticos
Responsável pelo acolhimento dos participantes, a diretora do câmpus Nadja Naira Alcantara vê no curso de imersão também uma oportunidade para divulgar e movimentar a cidade. No primeiro dia, por exemplo, alunos e professores visitaram e fotografaram pontos turísticos de Pirenópolis. Em outra atividade, já em sala de aula, os goianos fizeram apresentações sobre o Estado e suas peculiaridades econômicas, sociais e culturais.

Para Rodrigo Sobreira, assessor da Arex, a semana tem sido muito produtiva. “Estamos muito empolgados por receber nossos parceiros e também por abrir o curso a toda comunidade da UEG”, disse, para ressaltar que a experiência de servidores, estudantes e professores vai se desdobrar nos câmpus da Universidade.

 

(José Carlos Araújo | CeCom|UEG)

 

 

 

Notícia publicada em 13/03/2018