Reitor e coordenador do Proin visitam empresas inovadoras no Vale do Silício

Reitor_e_Bruno_na_Google.

O reitor da Universidade Estadual de Goiás (UEG), professor Haroldo Reimer, e o coordenador do Programa de Incubadoras da Universidade (Proin), Bruno Alencar, realizaram nesta quarta-feira, o terceiro dia de visitas a empresas modelos em inovação e empreendedorismo, no Vale do Silício, nos Estados Unidos.

Haroldo Reimer e Bruno Alencar compõem o grupo de representantes de Instituições goianas que organizaram a missão à região da Califórnia, em busca de conhecimentos e eventuais parcerias com empresas, órgãos ou universidades internacionais.

De acordo com o reitor, no primeiro dia, a missão conheceu o programa de incubação da Johnson & Johnson, à Universidade de Berkeley e, por fim, assistiram a palestra na One Ventura Capital sobre o ambiente de aceleração Runway.

Google
No segundo dia, a missão participou de reunião na Câmara de Comércio de São Francisco e conheceu o complexo do Google, em Montain View. Professor Haroldo, Bruno e os demais foram recepcionados pelo brasileiro Paulo Cabral, diretor de desenvolvimento do aplicativo de trânsito e navegação Waze.

“Ele (Paulo Cabral) nos introduziu ao fascinante mundo desse aplicativo de milhões de usuários e que já é utilizado para otimizar a mobilidade urbana, em parceria com mais de cem cidades”, conta o reitor. De lá, o grupo participou de uma exposição sobre o Google e um tour pelo câmpus, onde trabalham mais de 30 mil dos 80 mil funcionários da empresa.

Para Bruno Alencar, a viagem à ‘meca da startups de tecnologia” é uma oportunidade de conhecer ideias para desenvolver ambientes mais inovadores. “Viemos buscar inspiração e também verificar essa cultura de desenvolvimento de startups financiadas por empresas privadas”, acrescentou.

Facebook e Tesla
Estavam previstas para hoje visitas à Apple, Facebook e Tesla, empresa fabricante de veículos elétrico e que ficou ainda mais famosa com o lançamento de foguetes a custos bem inferiores e que ainda retornam para a Terra. “São as principais companhias que investem em modelos inovadores e que dominam o mundo com uma cultura mais aberta para as universidades”, resumiu Bruno.

(José Carlos Araújo | CeCom|UEG)

Notícia publicada em 07/03/2018