Câmpus Morrinhos da UEG recebe assistentes norte-americanas para curso de Letras

A coordenação do curso de Letras da Universidade Estadual de Goiás Câmpus Morrinhos realizou na segunda-feira passada, 5, a apresentação oficial das três Assistentes de Ensino de Língua Inglesa (English Teaching Assistant – ETA), que desenvolverão atividades didático-pedagógicas ligadas à língua inglesa e cultura norte-americana.

Ashley Scott (University of Arizona) do Estado do Arizona; Claire Brown (Bates College), do Estado de Nova York, e Jessica Williams (University of Louisville), do Estado de Kentucky foram apresentadas à comunidade acadêmica local no auditório do câmpus. Elas estudaram língua portuguesa nos Estados Unidos e também apreciam a cultura brasileira.

A palestra teve como objetivo a interação das assistentes alunos e professores do curso de Letras. As norte-americanas falaram sobre suas vidas e experiências e responderam aos questionamentos de alunos e professores.

20 horas por semana

Ashley, Claire e Jessica permanecerão na UEG até novembro deste ano, desenvolvendo, cada uma, cerca de 20 horas de atividades por semana, no curso de Letras e nos cursos de extensão ligados ao Centro de Idiomas.

A vinda das americanas foi possível graças ao Programa Capes/FULBRIGHT de Assistente de Ensino de Língua Inglesa (English Teaching Assistant - ETA) para Projetos Institucionais, que busca selecionar projetos para o recebimento de assistentes de ensino de língua inglesa. O intuito é contribuir para a elevação da qualidade dos cursos de bacharelado e/ou licenciatura em Letras, Língua Inglesa.

O projeto coordenado pelo professor Eduardo Batista da Silva, com aprovação da Pró-Reitoria de Graduação (PrG), foi um dos 40 projetos contemplados no País. Assim, na UEG, caberá ao professor desenvolver, acompanhar e avaliar as atividades das assistentes.

“Ficamos muito felizes por termos sido contemplados com as bolsistas da Fulbright. Elas trarão contribuições não apenas para a formação de professores de língua inglesa em Morrinhos, mas, também, para os cursos de extensão promovidos pelo Centro de Idiomas”, avaliou Eduardo Batista, que também coordena o Programa Centro de Idiomas da UEG.

 

(CeCom|UEG, com informações do professor Eduardo Batista)

 

Notícia publicada em 07/03/2018