Governo adota novo modelo de avaliação de servidores

O Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Gestão e Planejamento, adotará, a partir deste ano, uma nova metodologia de avaliação de servidores em estágio probatório. A principal novidade é que a avaliação será feita totalmente por meio de uma plataforma digital. Feita a cada três anos, ela tem cinco critérios: iniciativa, assiduidade e pontualidade, relacionamento interpessoal, eficiência e comprometimento com o trabalho.

Os detalhes da nova metodologia da Avaliação Especial de Desempenho (AED) foram expostos a superintendentes e gerentes das áreas de pessoal dos órgãos do Poder Executivo, em reunião coordenada pelo secretário de Gestão e Planejamento Joaquim Mesquita. “Trata-se de princípios elementares de avaliação dos servidores efetivos. A grande missão é garantir que o servidor pública seja aquele vocacionado e com compromisso de servir à sociedade”, disse o secretário, na abertura do encontro, realizado no Palácio Pedro Ludovico.

A nova metodologia da AED tem os seguintes objetivos: aferir a aptidão do servidor para desempenho de suas funções, identificar as necessidades de qualificação, aprimorar as habilidades pessoais e profissionais, conferir estabilidade ao servidor considerado apto e, se for o caso, exonerar aquele que for considerado inapto. “Esses princípios são todos constitucionais”, explicou a superintendente da Central de Administração de Pessoal, Liliam Milhomens.

Para realizar a avaliação, serão criadas as Comissões de Avaliação Especial de Desempenho (CAED), no âmbito de cada órgão. Elas serão compostas por servidores efetivos, com formação escolar superior ao do servidor avaliado. Também serão constituídas comissões de recursos.

Todo o sistema será informatizado e a previsão é de que as avaliações sejam feitas duas vezes por ano, durante o estágio probatório. A primeira está prevista para maio deste ano. “Há muitos servidores recém-ingressados no Estado, como na Universidade Estadual de Goiás e na área de Segurança Pública”, lembrou Joaquim Mesquita.

 

(CeCom|UEG, com informações da comunicação setorial da Segplan)

Notícia publicada em 07/02/2018