Estado de Goiás

CSU discute criação de novos cursos e bolsa quilombola  

A Universidade Estadual de Goiás (UEG) realizou nesta quarta-feira, 29 de novembro, a 106ª reunião ordinária do Conselho Universitário da Instituição (CSU). Entre os temas colocados para deliberação, estavam a homologação dos resultados das eleições para diretores dos câmpus Jataí e Itumbiara, a aprovação para a criação do bacharelado em Psicologia no câmpus Inhumas e a criação da bolsa permanência voltada, exclusivamente, para discentes quilombolas. A reunião foi realizada na no auditório da Reitoria da UEG, em Anápolis.

No início da reunião, foi retirada da pauta a votação sobre a criação de um curso modular de Pedagogia para o Câmpus Cora Coralina, na cidade de Goiás. Também foi discutido o edital de ingresso de docentes no Regime de Tempo Integral à Docência e à Pesquisa (RTIDP), aprovada a ata da reunião anterior e dados alguns informes.

Durante o evento, o Rotary Club realizou a entrega de quatro cadeiras de rodas, uma para a Administração Central, e as outras para os Câmpus Itumbiara, Aparecida de Goiânia e Goianésia. As doações das cadeiras foram possíveis graças à Campanha Tampa Mania, desenvolvida desde 2015 e que visa a arrecadação de tampas de embalagens descartáveis para conscientizar a sociedade a respeito da importância da destinação correta dos resíduos sólidos secos. As tampas plásticas arrecadadas em cada câmpus são vendidas e o valor é utilizado na compra das cadeiras de rodas.

Após discussões e análise do regimento eleitoral, o pleno aprovou, por ampla maioria, a homologação dos resultados das eleições nos Câmpus Jataí e Itumbiara. De acordo com o reitor da UEG e presidente do CSU, Haroldo Reimer, as eleições não foram homologadas na última reunião do CSU pois os conselheiros e a mesa diretiva precisavam de um período para amadurecer o debate acerca dos resultados do pleito. “O entendimento foi de que não houve qualquer ilegalidade nas eleições, portanto, não há justificativa para a não homologação”, destaca o reitor.

Bolsa Quilombola

Foi aprovada, durante o evento, a criação de 20 bolsas permanência, no valor de R$ 400, destinadas aos discentes quilombolas. Já no próximo semestre letivo as bolsas poderão ser solicitadas. Na última reunião do CSU, o pleno havia aprovado a criação do Programa de Acesso à Educação Superior para Quilombolas, que garante a oferta de vagas extras nos cursos da Instituição para integrantes dessas comunidades. Ambas as iniciativas foram consideradas avanços nas políticas de acesso e permanência na UEG.

Também foram discutidos os quantitativos de bolsas que serão oferecidas no próximo ano, entre elas as bolsas Permanência, Iniciação Científica, Mestrado, Doutorado, Desenvolvimento Institucional, Incentivo ao Pesquisador e Pesquisador Visitante. As bolsas variam de R$ 400 a R$ 8.000 e garantem desde a permanência do discente em situações de vulnerabilidade na Universidade ao desenvolvimento de pesquisas nas mais variadas áreas.

Novos cursos

Durante a reunião, a maioria dos presentes aprovou a criação do curso de Psicologia na cidade de Inhumas, tendo em vista que essa é uma demanda da população local e que a graduação se aproxima da vocação do Câmpus. Antes da aprovação, a diretoria do Câmpus já havia entrado em contato com, pelo menos, 15 professores da Universidade que são graduados em Psicologia e que se disponibilizaram a contribuir com o novo curso.

Também foi aprovada a criação do curso modular em Administração em Bela Vista. O curso será vinculado ao Câmpus Aparecida de Goiânia.

Ao final do evento, o reitor agradeceu a todos os conselheiros presentes, sobretudo àqueles cujo mandato no CSU se encerra no início de 2018. "Aqui se aprovam todas as normas da Universidade. Tenho certeza que cada um dos conselheiros aqui presentes auxiliou para que evoluíssemos cada vez mais na qualidade e no nível de nossas discussões", destacou.

 

(Núbia Rodrigues| CeCom UEG)

Notícia publicada em 30/11/2017
BR 153 Quadra Área, Km 99, Anápolis-Goiás