Estado de Goiás

Dia C da Ciência | UEG expõe produção científica em Parque Ambiental em Anápolis  

A Universidade Estadual de Goiás (UEG), por meio das coordenações da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (PrP) realizou, na tarde desta quarta-feira, 25, no Parque Ambiental Ipiranga, em Anápolis, uma exposição de trabalhos científicos e pesquisas desenvolvidas na Instituição.

As atividades integraram a programação do Dia C da Ciência. A iniciativa faz parte da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia e mobilizou todo o país com o objetivo de divulgar a produção científica de universidades, faculdades, institutos e centros de ensino, ciência e tecnologia.

A ideia foi mostrar a importância da ciência como promotora de desenvolvimento, igualdade e crescimento econômico da sociedade e ainda sensibilizar a população sobre a necessidade dos recursos públicos para a manutenção das pesquisas em ciência e tecnologia no país.

O evento foi organizado pelo Colégio de Pró-Reitores de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação das Instituições Federais de Ensino e pelo Fórum de Pró-Reitores de Pesquisa e Pós-Graduação.

Exposição
A UEG apresentou à comunidade trabalhos produzidos por cursos de graduação, como Ciências Econômicas e Administração, e pelos cursos de pós-graduação, como os mestrados de Ensino de Ciência, Recursos Naturais do Cerrado, Territórios e Expressões Culturais no Cerrado, Engenharia Agrícola.

Renato Rosa de Almeida, mestrando em Engenharia Agrícola, compartilhou com os visitantes da exposição os resultados do seu trabalho sobre conservação de alimentos pós-colheita. “Meu trabalho relaciona conservação de frutas e hortaliças ao tipo de embalagem. O estudo é relevante pela atual necessidade de se elevar o período de conservação dos alimentos para que tenham maior durabilidade e não percam a qualidade”.

 

Juliana Simião Ferreira, professora do curso de Ciências Biológicas e do Mestrado Profissional em Ensino de Ciências, levou para o Dia C da Ciência modelos de insetos aquáticos pouco conhecidos e utilizados por ela em atividades de divulgação científica em escolas.

“Um dos meus projetos desenvolvidos no Mestrado é justamente sobre popularização do conhecimento científico por meio desse organismos, do conhecimento de ecologia, do efeito do desmatamento sobre a biodiversidade aquática. Tudo isso é feito lá na UEG, no Laboratório de Pesquisa Ecológica e Educação Científica”, destaca Juliana Simião.

Para a professora, o conhecimento científico não pode ficar só entre os pares, ele deve romper as fronteiras da universidade e chegar até a comunidade, por isso o Dia C é um evento importante.

Livros produzidos por pesquisadores da UEG também foram distribuídos gratuitamente aos visitantes da exposição no Parque.

Outros câmpus da UEG, como Posse, Campos Belos e Goiânia, também realizaram eventos para divulgar suas pesquisas.

Cortes de gastos
O Dia C da Ciência foi pensado justamente para chamar a atenção dos brasileiros para o cenário de redução de recursos públicos destinados à área da ciência no Brasil. “Nós estamos vivendo um momento político muito difícil no país, em que a ciência está sendo muito desvalorizada, com cortes terríveis de financiamento e fomento”, lamenta a professora Juliana Simião Ferreira.

Segundo Juliana, o projeto dos insetos aquáticos apresentado na exposição, que teve financiamento do Cnpq, não conseguirá renovação, porque os recursos não serão mais disponibilizados.

De acordo com Divina Aparecida Leonel Lunas, professora e assessora da PrP, a pasta da ciência e tecnologia é uma das mais afetadas pelo ajuste fiscal imposto pelo governo federal. “Então, as universidades estão contendo bolsas, reduzindo investimentos. Temos laboratórios parados em várias universidades. Por isso esse dia C, porque o orçamento público federal para 2018 está sendo votado agora. Se você não mobiliza a sociedade para defender o ensino público, você não vai conseguir que esses recursos sejam mantidos”, sustenta a professora.

Divina Aparecida ainda adverte que a ideia de que ciência é gasto precisa ser combatida. É o que também pensam Juliana Lima e Philip Teles, estudantes do Mestrado em de Recursos Naturais do Cerrado: “É super importante termos noção de que o investimento na ciência não é gasto, a ciência tem o poder de transformar a realidade, ciência é a porta de emancipação do indivíduo, ciência é investimento no futuro da nação”.

Essa foi a primeira edição do Dia C da Ciência, mas a expectativa dos organizadores é de que o evento seja realizado anualmente, sempre no período da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, criando a cultura do Dia C.

 

     

(Adriana Rodrigues | CeCom|UEG)

Notícia publicada em 27/10/2017
BR 153 Quadra Área, Km 99, Anápolis-Goiás