Estado de Goiás

4º Cepe | Oficinas exploram criatividade, com olho na sustentabilidade  

topo_cepe 

A sustentabilidade deu o tom, as cores e as formas no IV Congresso de Ensino, Pesquisa e Extensão da Universidade Estadual de Goiás (Cepe|UEG), no Câmpus Pirenópolis. Foi um dia de oficinas coloridas e cheias de criatividade, muitas delas com reutilização de produtos descartáveis.

O assessor de Assuntos Estudantis Leonardo Vergara, por exemplo, colocou estudantes para fazer o maior barulho – em ritmos de samba-reggae, ciranda e funk – na oficina de confecção de instrumentos musicais feitos de materiais sustentáveis. Plástico, borracha, pedaços de cabos de rodos e tambores de PVC viraram caixa (tarol), surdos, atabaques e chocalhos que quase lembravam o tum-durum-dum-dum do Olodum.

Tais Alcântara Souza, do 4º período de Geografia, do Câmpus Itumbiara, gostou da experiência, mesmo sem saber o nome do instrumento que manuseou: um tubo de plástico com anéis de latas de cerveja dentro. Era um chocalho! “Foi um som bem legal”, avaliou ao apontar a harmonia geral do grupo.

Ritmo no corpo

Leonardo Vergara, que também é músico e professor de Biologia do ensino fundamental, gostou do desempenho dos alunos. “O ritmo já está no corpo das pessoas, a gente só provoca”, afirma ao ressaltar também a destinação – muito mais digna e ecologicamente correta – dada a produtos utilizados na criação dos instrumentos.

Preocupação semelhante tem a professora Nélia Cristina Finotti, que, juntamente com a colega Fabiana Haddad, ministrou o minicurso Customização e moda: customização de camisetas do IV Cepe UEG. Na atividade, as professoras ensinavam as pessoas a customizarem a peça, de acordo com o gosto individual, utilizando insumos, como retalhos de confecções.

“A ideia principal é a sustentabilidade na moda, o vestir consciente”, define Nélia Finotti. É também uma forma de dar durabilidade a uma peça que, muitas vezes, seria esquecida ou jogada fora, após o evento.

Aluna do quarto período de Geografia, do Câmpus Iporá, Yasminy Carolina Souza gostou de usar a criatividade para transformar a camiseta. “É muito legal! Agora vou poder fazer nas outras peças que tenho em casa”, conta a estudante.

Apresentação de painéis

As atividades acadêmicas foram encerradas à tarde, com a apresentação de painéis. As apresentações ocorreram na quadra de esportes do Câmpus Pirenópolis e foram uma oportunidade para os jovens pesquisadores, estudantes da graduação e pós-graduação, divulgarem os dados e resultados das pesquisas que têm sido desenvolvidas por eles nos diversos câmpus da UEG. Também foi momento para a troca de experiências entre estudantes e professores de várias áreas do conhecimento.

“Aqui a gente tem dimensão das produções que são feitas em todos os câmpus, temos acesso a trabalhos de áreas diferentes da nossa. É uma socialização de conhecimento muito interessante”, observa a estudante do curso de Letras, do Câmpus Iporá.

Para Francisco Ramos de Melo, professor do curso de Sistemas da Informação, do Câmpus de Ciências Exatas e Tecnológicas (CCET),  e um dos avaliadores dos painéis, a apresentação dos trabalhos científicos é um evento muito importante, pois é uma iniciação dos estudantes no universo da pesquisa, do pensar academicamente.

“E para nós que estamos na academia há um pouco mais de tempo, sempre tem aprendizado. Em cada painel que eu passo avaliando, vejo trabalhos interessantes, vejo coisas em que eu posso contribuir e que os alunos podem contribuir comigo”, analisa Francisco.

Palco Aberto

À noite, a Rua do Lazer, no Centro Histórico, voltou a receber o Projeto Palco Aberto, com o sarau do professor Einstein Augusto e convidados, além, é claro, do som dos professores Leonardo Vergara, Alison Filgueiras e convidados.

 

(José Carlos Araújo e Adriana Rodrigues | CeCom|UEG)

Notícia publicada em 20/10/2017
BR 153 Quadra Área, Km 99, Anápolis-Goiás